Abertura da Mogi-Bertioga é adiada

O deputado estadual Luiz Carlos Gondim (PTB) lamenta o adiamento para a liberação da Rodovia Bertioga, mas afirma que nesse momento o mais importante é preservar a segurança dos usuários da estrada. A previsão é de que a abertura da via aconteça na próxima semana.

A decisão de adiar a abertura da estrada foi anunciada pelos técnicos do Departamento de Estrada de Rodagem (DER) durante a vistoria feita no trecho interditado, na manhã desta quinta-feira (26.04).

Gondim, que acompanhou a fiscalização, afirma que a notícia “causa frustração”, até porque durante reunião nesta semana, o próprio secretário estadual de Transportes, Mário Mondolfo, deu esperanças ao parlamentar ao dizer que o acesso deveria ser liberado para esse feriado prolongado de 1º de Maio.

“Ficamos entusiasmados com essa possibilidade, mas é preciso agir com cautela neste momento para garantir a segurança dos usuários da via. Não podemos correr riscos de acontecer uma tragédia, até porque ainda há riscos”, comentou.

O deputado disse também que vai convidar o governador Márcio França (PSB) para ir até o local para acompanhar de perto esse processo, entender o problema, verificar o trabalho que está sendo feito na estrada que liga o Alto Tietê à região do Litoral Norte.

“Seria muito importante a presença do governador no local para dar o parecer dele sobre essa questão, verificar a importância dessa rodovia para toda a região”, reforça o parlamentar, que há muitos anos reivindica a duplicação da via.

O deputado destaca ainda os problemas provocados pelo fechamento da estrada, com grande impacto negativo aos comerciantes que tem estabelecimento ao longo da via e também a toda rede de comércio, hotelaria e restaurantes de Bertioga, que está tendo problemas com abastecimentos dos produtos.

Para conseguir as mercadorias, os distribuidores de produtos tem que utilizar outras rodovias, o que encarece quem cerca de  R$ 300  cada viagem.  Tem ainda o problema dos alunos que estudam em Mogi, pessoas que moram em Bertioga e trabalham em Mogi ou vive-versa, entre muitos outros setores prejudicados com essa interdição.

No entanto, na vistoria desta quinta-feira, os técnicos verificaram que apesar de já ter sido retirado quase todo o material que caiu sobre a pista na altura do Km 89, onde houve o desmoronamento, ainda há muito serviço a ser feito antes de reabrir a estrada.

Eles observaram riscos de novos deslizamentos no local, por conta das pedras que continuam soltas na encosta, com risco de rolar a qualquer momento. A equipe de funcionários que trabalha deverá detoná-las ainda hoje.

 

Deixe uma resposta