Autismo foi tema da Audiência Pública realizada pelo deputado Gondim

No Dia Internacional do Autis­mo, o deputado Luiz Carlos Gondim realizou uma Audiência Pública, que reuniu familiares de crianças e jovens com o transtorno para um debate em torno das polí­ticas públicas voltadas para as pes­soas com este diagnóstico. A sessão foi realizada no Auditório Paulo Kobayashi, no dia 02 de abril.

A neuropediatra Saada Ellovitch explicou que o autismo é um transtorno do neurode­sen­volvimento cuja causa é precoce, ge­nética e intrauterina. “Pode ter agravos ambientais, como uma infecção pré-natal, rubéola ou algum fármaco que a mãe tenha utilizado, mas a grande maioria dos casos é genética”.

Durante a audiência, a es­pecialista falou sobre o es­pectro autista, os sintomas e o tratamento. “Nos últimos anos aprendemos a fazer o diagnóstico, então ficou mais fácil detectar o transtorno.” Um dos assuntos tratados foi a al­teração do edital relacionado ao atendimento dos alunos com o Transtorno do Espectro Autista (TEA) nas escolas particulares do Estado. Com a mudança, algumas crianças não voltaram às atividades escolares em 2018.

Edson Cinelli, pai do cantor autista Fer­nando Pavanni, re­forçou a importância da atenção do governo para com os autistas e suas respectivas famílias. “Pre­cisamos de políticas públicas, porque o tratamento particular é muito caro. O atendimento público e de qualidade é im­portante e trata-se não apenas de colocar o aluno dentro da classe, mas de realizar o tratamento diariamente. A família também tem de participar.”

Para o deputado Gondim, é preciso discutir o assunto de forma mais intensa. “É uma síndrome sobre a qual precisa haver mais debate, para que dessa forma as políticas públicas sejam ampliadas. O que temos observado é que mudanças por decreto do governo abalam principalmente a educação.”

Também compuseram a me­­­­sa do evento os depu­ta­dos Alencar Santana (PT) e Carlos Gian­nazi (PSOL), a jornalista e escritora Andrea Werner, a psicóloga Fernanda Orsati, o pro­fessor da rede pública Lucelmo Lacerda e a promotora de justiça Sandra Massud.

 

Deixe uma resposta