Deputado Gondim cobra rapidez nas obras da Mogi-Bertioga

O governador Márcio França (PSB) garantiu ao deputado Luiz Carlos Gondim (PTB) que vai pedir celeridade na execução do projeto de obras na Rodovia Mogi Bertioga para evitar os deslizamentos e garantir a segurança aos usuários da estrada, interditada desde a madrugada de ontem por causa de uma nova queda de barreiras, com deslizamento de grande quantidade de terras, árvores e pedras sobre a pista.

França cumpriu o que havia combinado ontem com o deputado Gondim e enviou ao local, na manhã de hoje (12), uma equipe da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC-SP), para avaliar a situação junto com geólogos, engenheiros e técnicos do Departamento de Estradas de Rodagens (DER). O chefe de Estado disse ao parlamentar que essa equipe de técnicos vai fazer uma análise minuciosa da rodovia e aponte o que precisa ser feito.

“Ainda bem que até agora não houve vitimas, mas até quando?  Hoje ninguém tem segurança de trafegar pela estrada, porque os deslizamentos podem acontecer a qualquer hora, principalmente neste período de chuva”, pondera.  Ele explica que inicialmente a liberação estava prevista para este final de semana, mas isso só deve acontecer se houver garantia de segurança aos motoristas. “Já alertei o governador sobre esses riscos. Ele tem consciência do tamanho do problema e demonstrou interesse em resolvê-lo o mais rápido possível”, reforça o deputado, que assim que soube do problema foi cobrar providência e teve essa conversa por telefone com o Márcio França.

Nesta quinta-feira, os funcionários que trabalham no local deverão dinamitar a enorme pedra que rolou sobre a pista para facilitar a retirada de todo o material que está obstruindo a passagem.  Segundo o DER neste último desmoronamento cerca de 480 toneladas de materiais desceram das encostas, somando as 280 toneladas de terra e vegetação e 200 toneladas de uma grande rocha. A remoção está sendo feita com o uso de retroescavadeiras e máquinas. O acidente aconteceu no km 89.5, trecho de serra próximo a Bertioga.

Hoje o deputado solicitou também uma reunião na Secretária Estadual de Transportes.  Gondim quer saber dos detalhes desse trabalho do DER, que está em fase de contratação do consórcio Regea-Pangea-Nipon que vai realizar estudos e mapear os riscos relacionados a desastres naturais e eventos geodinâmicos, como o escorregamento de terra e massa em geral de encostas.  A expectativa é que os estudos sejam e iniciados ainda neste segundo trimestre de 2018, com a supervisão do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

Já foi divulgado pelo DER que o estudo é uma parceria com o Banco Mundial, por meio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BIRD), com a Secretaria do Meio Ambiente e Instituto Geológico. Os dados obtidos deverão ser encaminhados posteriormente ao IPT.  A expectativa é que os estudos sejam contratados e iniciados ainda neste segundo trimestre de 2018.

 

OUTRAS INTERDIÇÕES

O deslizamento desta vez aconteceu no local onde o DER fazia trabalhos para contenção de queda de barreiras desde 28 de março, quando terra, vegetação e pedras caíram na pista sentido Mogi das Cruzes, após destruírem parte de uma barreira erguida para conter a encosta.

Em meados de fevereiro, no dia 15, uma nova queda encosta também interditou totalmente a rodovia, que permaneceu fechada por mais de uma semana. Na ocasião, o deslizamento aconteceu no entorno do Km 82, no trecho de Biritiba Mirim, em Mogi das Cruzes, e também nos Kms 87 e 88,5, já em Bertioga.

No dia 21 de março a estrada ficou interditada por quase dois dias, em 21 de março, também houve bloqueio depois que chuvas intensas ocasionaram o desmoronamento de rochas, terra e árvores no entorno do Km 87.

 

Deixe uma resposta